Big Data no Futebol Americano

Big Data no Futebol Americano

Diariamente são feitas mais de 6 bilhões de pesquisas no Google. A cada minuto são mais de 2,4 milhões de likes no Instagram e mais de 400 horas de novos vídeos no Youtube. Mas não, não pare de ler! Você ainda está em um blog sobre futebol americano e vou demonstrar como esses dados se entrelaçam com o esporte. Porém, antes de começar a mostrar essa relação entre internet, dados, informações e o futebol americano, preciso explicar uma palavra muito importante nos dias atuais: Big Data.

Podemos considerar o início do uso desse termo por volta dos anos 2000, e seu conceito, de forma mais ampla, pode ser entendido como uma enorme quantidade de dados que estão armazenados em determinado lugar. Conforme escreveu o analista Doug Laney, o Big Data possui três aspectos fundamentais, volume, velocidade e variedade. Hoje, com o avanço dos estudos sobre esse tema, foram adicionados mais dois V’s para essa equação, veracidade e valor. Para entender melhor o que é Big Data, precisamos compreender, mesmo que resumidamente, o significado de cada um desses aspectos:

  • Volume

É literalmente o que diz a palavra, quantidade de dados gerados. E-mails enviados, curtidas no Instagram, repostagens no Twitter, likes no Facebook, tudo isso gera dados que agrupados possuem volume. Esse crescimento é praticamente exponencial com a melhoria das tecnologias da informação e das formas de armazenamento de dados. Um bom exemplo de Big Data no futebol americano seriam os dados que conseguimos captar, tanto com treinos, jogos, torcedores, patrocinadores, dentre outros apoiadores.

  • Velocidade

Transformar dados em informação é a base do Big Data, e a velocidade é um dos fatores cruciais. Quanto mais rápido acontece a transformação, mais rápido posso tomar decisões com base em informações. Sendo assim, a velocidade se torna um diferencial estratégico. Aplicando a Big Data no futebol americano de forma bem básica, se eu identifico no início da partida que a defesa do adversário está com marcação homem a homem, eu posso ajustar meu ataque e realizar jogadas explorando as falhas desse tipo de marcação. Portanto quanto mais rápido eu tenho essa informação, mais rápido me decido e ajusto a estratégia do meu time.

  • Variedade

Quase diretamente proporcional ao volume, a variedade diz respeito a tudo aquilo que conseguimos captar em diferentes meios. Com essa variedade, o processo de tomada de decisão em uma determinada situação, além de ficar mais completo e amplo, também possui maiores chances de acerto. Trazendo para o futebol americano, podemos definir a variedade de informações em apenas uma jogada: Qual descida o time está? Qual a sua formação? Conjunto? Posição de campo? Tempo de jogo? E a defesa? Qual a fronte? Cobertura? Tudo isso compõe a variedade de dados que serão transformados em informações na cabeça do Head Coach ou coordenadores e auxiliarão na tomada de decisão.

  • Veracidade

A veracidade está intimamente ligada a assertividade na decisão. De nada adianta ter várias informações falsas ou inexatas, mesmo que com uma rápida resposta. Dados exatos devem ser primordiais ao processo e mesmo que tomem tempo para se atestar a veracidade desses dados, deve-se correr esse risco.

  • Valor

O valor seria a relevância desses dados para o seu negócio, no nosso caso o Futebol Americano. De nada adianta, durante um jogo, eu informar para o Head Coach que conseguimos mais 2 mil likes no Facebook. Lógico que para a Diretoria de Marketing do time, essa informação é uma métrica que pode possuir certo valor, mas para o técnico no calor do jogo, isso não faz diferença alguma. O valor pode ser visto como a pergunta que deve ser respondida naquele momento. No exemplo acima, poderia ser a quantidade de jardas terrestres que o time produziu, ou a quantidade de passes que a defesa concedeu ao Quarterback adversário. Quanto mais complexa a pergunta e mais completa a resposta, maior valor a informação terá.

Depois disso tudo vale ainda mais uma dica: Nem todo dado é informação! O dado precisa ser transformado em informação. Um monte de números sem qualquer definição, continua sendo um monte de número, sem valor nenhum e não trazem nenhum benefício para a tomada de decisão.

Então, estude como manusear esses dados no seu time, como acrescentar o Big Data no dia a dia tanto dentro quanto fora de campo, seja em ações de Marketing para promover a marca do seu time, ou através de scouts para visualizar a performance dos seus jogadores nas partidas. Com certeza trará muitos benefícios e ajudará para que você tome a decisão correta e no tempo certo.

Mas lembre-se! Mesmo com todas as informações a escolha depende do ponto de vista de quem irá tomar a decisão e nem sempre pode ser a correta. Mesmo a escolha errada traz inúmeros ensinamentos e ajuda na próxima decisão a ser tomada. Tente todo dia fazer uma boa escolha, este é o nosso lema por aqui, #MakeTheWiseChoice.

Gostou do post? Então, fique ligado em nossa Fan Page no Facebook, sempre disponibilizaremos bastante conteúdo bacana sobre Futebol Americano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *